Muitos chatbots vem sendo construídos com bibliotecas de IA, plataformas de desenvolvimento de aplicações cognitivas, e sabe-se lá mais que termo se possa usar para chamar a atenção de que “são inteligentes”. Mas são ?

Onde está a inteligência afinal ? Você criou um bot que consegue entender linguagem natural (faz processamento de linguagem natural PLN) quando uma pergunta é digitada ou uma frase é dita, e depois para aquela intenção de busca, recupera um texto fixo ou uma outra frase.

Isto é inteligência ? Tá bom. É. Mas convenhamos... chamar de sistema cognitivo um sistema que reconhece um bom dia e responde com outro bom dia é bem artificial. E se eu der bom dia e forem 18 hs ? Ele responde com “bom dia” ou deveria dizer “Boa tarde, pois já passou do meio dia. Você está atrasado !” ???


Dizer que está usando aquela super-hiper-ultra-moderna ferramenta para construção de sistemas cognitivos e depois só usar o módulo de PLN dentro do seu projeto não parece pouco ? O que você quer ? Resultado inteligente ou aparência inteligente.

Pode-se construir sistemas nada (ou pouco) inteligentes, mesmo usando os melhores algoritmos inteligentes do big big big grandes fornecedores. Hoje, por exemplo, você fala com seu GPS, diz o endereço, ele entende (ah, usa reconhecimento de voz !). Mas, não é por isto que precisa ser vendido com o rótulo de sistema inteligente apesar de ter muita IA envolvida nos algoritmos de reconhecimento de voz ! Concorda ?

Estamos na era das aplicações de IA. Algumas bem artificiais e pouco inteligentes.